NOSSO BLOG

Transubstanciar Entrevista Estevão Ribeiro


T:Estamos aqui com Estevão Ribeiro ,autor de quadrinhos independentes como Pequenos Heróis e Os Passarinhos ,tudo bem?

ER:Tudo Bem,e ai?

T:Tudo Joia,de 2009,2010 pra cá tem tido uma proliferação de quadrinhos independentes aqui no mercado brasileiro,isso pra você como autor ajudou,dificultou ou criou tipo um parâmetro pro pessoal fazer o quadrinho de tal jeito pra ser publicado?

ER:Olha,o legal é que desde 2009 digamos assim a gente tem vários desafios pra prever o mercado,a gente tem muitas editoras independentes nascendo a Balão Editorial , nasceu em 2009 com Os Passarinhos , e as editoras como a Devir Editora e a Conrad Editora elas tiveram que se reinventar,então foi criado um parâmetro , sim , assim as pessoas estão olhando pra produção independente que tem qualidade pra estar em qualquer editora , e os próprios independentes estão fazendo um trabalho próprio através de financiamento coletivo ,então aquela coisa de estar numa editora,hoje já não é mais símbolo de status e por isso que as mesas em eventos já são mais badaladas que os estandes ,hoje você pega Fabio Moon & Gabriel Ba que poderiam estar com estandes hoje estão com mesas,acho que estamos tendo uma valorização mais do indivíduo,antigamente tínhamos muitos coletivos,hoje essas vozes mesmo dentro dos coletivos são ouvidas e são distintas umas das outras e a gente consegue identificar o indivíduo que é o autor do quadrinho independente ,hoje não temos mais Os Quadrinhos Independentes ,temos o Autor de quadrinho independente e o Empreendedor de quadrinho independente .

T:Legal,e outra coisa que eu queria saber e eu estava falando mais cedo com o Marcatti que já tem mais tempo de mercado e ele falou que o quadrinho em geral brasileiro ele sobrevive de BOOMS,tipo nos anos 80 teve o BOOM de quadrinho de humor com Chiclete com Banana , Los Três Amigos e o Glauco,e tivemos um BOOM de quadrinhos de terror e atualmente a gente tem um "BOOM" de quadrinhos independentes e dai você acha que vai continuar desse jeito pelos próximos anos ,você acha que vai crescer que vai virar outra coisa ?

ER:O que esta acontecendo já,desde agora os coletivos estão virando editoras,então o próximo BOOM e das editoras independentes ,porque as editoras que tem sua lojinha virtual,que tem sua loja física em algum lugar ,tanto essas mini-editoras ou indie editoras,que sobrevivem de eventos,eu acho que o BOOM hoje não é dos quadrinhos independentes ,mas o BOOM hoje e de eventos porque cria um mercado hoje se o cara consegue ir a um evento a cada 2 meses,ele consegue tirar seu sustento,entendeu,se ele consegue um fluxo de ir a eventos no Rio Grande do Sul ,Curitiba,São Paulo,Mato Grosso do Sul , se ele conseguir criar um tipo de tradição em relação a esses eventos,a profissionalização dos eventos o próximo BOOM é evento de quadrinhos e editoras independentes.

T:Legal,de 2013 em diante a gente tem um crescimento das mulheres no mercado de quadrinhos e qual é sua opinião a respeito disso?

ER:Demorou muito,demorou muito pra abrir espaço,demorou muito pra elas requererem espaço, que e um espaço majoritariamente masculino,que muita coisa foi feita só pra homem,quadrinho foi feito só pra homem,futebol,videogame foi feito só pra homem e pensado só pra homem,hoje começou a ter material feito voltado pra mulheres ,rapazes mais sensíveis,e caras escrevendo sobre mulheres e falando sobre mulheres , eu esqueci o nome do cara,mas que fez menina infinito, você tem mais pessoas ,mais preocupadas com a vida da mulher e em resposta a isso as mulheres ,elas tomaram seu espaço hoje nos temos um evento com 36 presenças femininas de 120 convidados , é muito pouco,mas geralmente você tem um leque de 10 por cento ,então estão de parabéns a organização do FIQ com a curadoria da Ana Koehler , e a tendência é aumentar ,muita gente pode não gostar,mas o espaço não é que ele tem que ser dado ,o espaço está sendo conquistado,e isso é importante.

T:Legal,e no caso você tem intenção de transformar Os Passarinhos ou Pequenos Heróis em Animação algum dia?

ER:Os Passarinhos é um sonho antigo , fizemos roteiros,projetos,estamos esperando uma oportunidade melhor,Pequenos Heróis foi vendido os direitos de produção, e ficou 3 anos com a produtora e ela não conseguiu fazer então paciência,nosso grande passo agora e apresentar o nosso trabalho pra algumas editoras seja na CCXP,ou em outros eventos,nossa intenção é fazer isso.

T:Legal,e você no caso fez o caminho inverso você veio da internet pra versão física da coisa normalmente o pessoal faz o caminho contrario ,você acha que por causa disso foi mais fácil pra você?

ER:Na verdade,não, as pessoas me conhecem muito pelos Os Passarinhos , mas minha primeira publicação eu lancei um personagem chamado Tristão pela editora Escala , foi off-line,foi física na verdade,então assim eu trabalhei por 1 ano no Jornal Noticia Agora publicando 1 página por dia durante 386 páginas produzidas para o Jornal O Dia que tinha Tristão,Biotechs , muita coisa ruim,mas eu estreie nos quadrinhos produzindo o roteiro de 386 páginas e depois disso fiz uma HQ de 21 páginas do Tristão, depois fiz uns 2 ou 3 impressos e trabalhei como roteirista da Maurício de Souza Produção fiz 8,12 historías pra Turma da Monica regular e depois que eu passei pra internet pra fazer Os Passarinhos, e apartir dai em 3 meses ,com 1 mês virou quadrinho na MAD, com 3 meses virou quadrinho impresso,acho que foi a menor incursão assim.

T:Eu lembro que eu vim em 2009 , se não me engano e eu te encontrei aqui no FIQ,você estava com o primeiro Os Passarinhos e você estava com seu filho,seu filho estava pequeno,ou 2009 ou 2011,

ER:Meu enteado,na verdade,hoje é um moleque que já tem bigode ,Os Passarinhos eles existem a 6 anos ,ele nasceu pra vir pro FIQ,foi bem gratificante ter Os Passarinhos por aqui,na verdade acho que foi no FIQ de 2011,foi em 2011 não foi?Foi 2011,porque tem 5 ,6 anos dos Os Passarinhos a gente trouxe pra ca e foi uma grande aceitação ate pelo formato e pela qualidade das tiras ,mas e um material impresso,porque eu sou um cara do impresso,com 3 meses ,já eu não resisti e voltei pro impresso novamente,porque eu amo o impresso,tem muita tira de facebook ,cheiro da impressão ,isso que mais, é assim o pessoal é tarado por livro ,ter o físico é melhor,porque ter um HD cheio de coisa , e só uma ideia ,você ter o negócio em mãos é outra coisa , a experiência da coisa física,vai ficar muito tempo em vigor porque a gente é ainda muito apegado ao físico, o material virtual,impossibilitaria de estar nestas feiras se você faz uma feira virtual ,todo mundo com tablet,se bem que se não fosse assim as feiras de games não existiam? porque o quadrinho é mais o físico, massa,e ali que ele se realizou , exato,tem que ter essa postura,e também o cara ganha milhares de dólares,ienes,tem que fazer alguma coisa pelo seu público .

T:Tem muita gente hoje em dia que está tendo muito isso com livro que o pessoal não consegue largar o papel,por causa do peso do livro,do cheiro da impressão, essa coisa do livro novo,que nem eu tenho várias HQs legais , então eu não posso imprimir ela é trazer aqui pro cara , assinar , né ? o game é mais da experiência, eu tive na BGS 2015 , cobrindo e eu conversei com um monte de gente do meio,inclusive eu conversei com o criador do Street Fighter,o japonês la falou : meu Street Fighter nasceu porque eu sou um merda ,mas eu adoro jogo de luta , eu sou aquele cara que faz arte-marcial e não sai da 2 faixa ,mas eu adoro aquilo lá,tanto que hoje em dia é ele que manda no negócio,ele mesmo,tanto que eu estava cobrindo a respeito do Street Fighter 5 ,e ele falou:meu muita gente me criticou porque Street Fighter 4 teve novecentas versões e ele falou o 5 vai ter uma versão,eu se eu colocar personagem novo todo mundo vai ter , porque eu acho sacanagem com os outros , sou eu que acha,não e a Capcom que acha.

Ele fala ,um dos caras que é uns do maiores ,ele veio do mercado da competição.

T: Então,só pra terminar,você teria interesse em trabalhar com outras mídias,como Manga ou Fumetti,alguma coisa assim?

ER: O Tristão começou como Manga,American Manga,porque eu escrevia como Comics e o desenhista amava Manga,então ficou uma parada Tupi-Manga ,inclusive Tupi-Manga é boa ,ficou legal,eu tenho vontade de trabalhar com outras mídias sim,animação,desenho japonês, historías longas, historías curtas,o trabalho criativo me interessa.

T:Legal,Obrigado.

ER:Eu que agradeço,Muito Obrigado.

Tags:

Siga
  • Facebook Long Shadow
  • Twitter Long Shadow
  • YouTube Long Shadow
  • Google+ Long Shadow
Featured Posts